Repolho Roxo

* Imagens Ilustrativas

Cicatriza as úlceras

Descrição: Folhas de diversas variedades da espécie Brassica oleracea L., planta herbácea : bianual ou plurianual da família das Crucíferas.

Do ponto de vista botânico, um repolho é um aglomerado de folhas com forma mais ou menos esférica. A maior parte das couves são repolhos, ainda que algumas, como a couve-flor e o brócolis, são ínflorescências.

Todas as variedades atuais das couves derivam da couve silvestre, que ainda pode ser encontrada nas costas atlânticas da França e da Inglaterra.

De acordo com a parte da planta onde se concentra sua energia de crescimento, obtemos as diferentes variedades de couves:

- nas folhas: couve, repolho-branco, repolho-roxo, repolho-crespo;

- nas inflorescências: couve-flor, brócolis;

- na base do talo (bulbo): couve-rábano,

- nos brotos: couve-de-bruxelas.

As couves já eram usadas como alimento desde a época greco-romana. Os gregos, além de apreciá-la como alimento, descobriram suas propriedades medicinais. Hipócrates, Galeno e Dioscórides exaltaram as virtudes dietoterapêuticas das couves. Catão o Velho, filósofo romano do século 2 a.C., declarava que «se os romanos puderam passar sem médicos mais de seis séculos, o mérito deveria atribuir-se ao uso de couves".

Durante toda a História as couves foram consideradas alimento próprio de pessoas humildes e de pouca distinção social. Esse conceito um tanto depreciativo das couves mudou radicalmente há algumas décadas quando se descobriu seu grande potencial anticancerígeno: as couves contêm substâncias capazes de impedir a formação de tumores malígnos, e, inclusive, deter seu crescimento.

Além dessa ação anticancerígena, as Couves possuem muitas outras propriedades dietoterapêuticas e medicinais, tais como se expõe a seguir:

Propriedades e indicações: As couves contêm uma grande variedade de nutrientes:

• Proteínas, em porcentagem nada desprezível, que oscila entre 3,38% na couve-de-bruxelas e 1,39% no repolho-roxo. Trata-se de proteínas incompletas, como muitas de origem vegetal, por não conter todos os aminoácidos na proporção adequada. Mas, combinadas com outras proteínas vegetais, como as que se encontram nos cereais ou nas leguminosas, convertem-se em proteínas completas de alta qualidade.

• Gorduras ou Lipídeos, em uma quantidade mínima, praticamente nula. Só a couve-de-bruxelas alcança 0,3%; todas as demais couves oscilam entre 0,1 e 0,2% de seu peso. Essa escassez em gorduras faz das couves um alimento muito adequado para cardíacos e obesos.

As gorduras das couves ainda que estejam presentes, são proporcionalmente escassas, têm uma grande importância preventiva e curativa. Dissolvidas nelas encontram-se as substâncias sulfuradas responsáveis pela maior parte de suas ações medicinais - identificadas atualmente como elementos fitoquímicos.

• Carboidratos: A maior parte das couves têm entre 3 e 5% .

•Vitaminas: São especialmente ricas em betacaroteno (provitamina A) e vitamina C, ainda que contenha quantidades significativas de vitaminas E, B e K.

Com essa  composição tão variada  e atrativa, do ponto de vista científico, os repolhos apresentam as seguintes aplicações medicinais:

Úlcera gastroduodenal: a capacidade cicatrizante das folhas do repolho sobre a pele, em aplicações externa é um fato bem conhecido e experimentado desde muito tempo. Experiências comprovaram que quantidades  de suco de repolho são suficientes para obter um resultado eficaz.

Afecções intestinais: O repolho exerce  uma suave ação laxante e reguladora do trânsito intestinal, devido a seu conteúdo em fibra celulósica.

Parasitas intestinais: O suco em jejum tem sido usado como vermífugo, para expulsar os parasitas intestinais.

Afecções circulatórias: As couves são muito ricas em potássio e pobres em sódio. Elas possuem um suave efeito diurético e constituem um alimento apropriado para os cardíacos e hipertensos. Seu conteúdo em vitaminas antioxidantes (A,C e E) contribuem para a regeneração das paredes arteriais.

Obesidade: Os couves aportam muito poucas calorias, e, no entanto, produzem sensação de saciedade. Por isso, e por sua riqueza em vitaminas e minerais, o repolho é um alimento ideal para obesos e nunca deveria faltar em dietas para emagrecimento.

Osteoporose e descalcificação: Devido a  notável quantidade de cálcio que as couves contém, e especialmente à facilidade com que esse cálcio é assimilado pelo organismo, as couves constituem um alimento fundamental em caso de osteoporose e descalçificação, assim como em todos os casos em que seja necessário maior aporte desse mineral.

Diabetes: Por seu escasso conteúdo em carboidratos e sua riqueza em vitaminas e minerais, o repolho é muito bem tolerado pelos diabéticos.

Escorbuto: O conteúdo de vitamina C das couves, semelhante a das laranjas, deu a esses vegetais a fama de antiescorbuto.

Afecções cancerosas: São muitos os estudos que comprovam que o consumo regular evita a formação de cânceres nos animais de laboratório.

Preparo e utilização:

Crua: As folhas tenras picadas bem finas, em salada temperada com azeite de oliva e limão.

Suc fresco: Batido no liquidificador, tomar até meio copo antes de cada refeição  com estômago vazio, de três a quatro vezes no dia.

Refogada: Evitar o excesso de cozimento, os elementos fitoquímicos do tipo sulforoso são sensíveis ao calor e desaparecem com cozimento prolongado. Ideal é cozinhar no vapor.

Veja Também

Alface Americano

Alface Crespa

Cebolinha

Repolho Branco

* Imagens Ilustrativas