Uva Italia

* Imagens Ilustrativas

Tonifica o coração e fluidifica o sangue

Descrição: Fruto da videira (Vitis vinifera L.), trepadeira da família das Vitâceas. Trata-se de um fruto em bagos que crescem formando cachos de até cem frutos agrupados.

Depois da laranja, a uva é a fruta mais cultivada em todo o mundo. Infelizmente, apenas pequena parte da uva produzida é consumida como fruta; a maior parte se destina à fabricação de bebidas alcoólicas, especialmente vinho.

A uva constitui um componente essencial da dieta mediterrânea e até de sua cultura. Vem sendo cultivada durante milênios nas cálidas terras que rodeiam o mar Mediterrâneo.

Recentes descobertas científicas atribuem a boa saúde cardíaca dos habitantes do Mediterrâneo precisamente a algumas das substâncias presentes na uva.

Propriedades e indicações: Dois tipos de nutrientes destacam-se na composição da uva: os açúcares e as vitaminas do complexo B; por outro lado, a uva fornece poucas proteínas e gorduras. Ainda que em pequena quantidade, as proteínas (0,67%) contêm todos os aminoácidos essenciais. Os minerais estão presentes em quantidades moderadas. Os componentes da uva que merecem menção especial são:

• Açúcares, em proporção que oscila entre 15 e 30%. As uvas de regiões frias costumam ter menos açúcares, enquanto as cultivadas em terrenos cálidos e secos mais doces.

Os dois açúcares mais abundantes na uva são a glicose e a frutose. Do ponto de vista químico, trata-se de monossacarídeos ou açúcares simples, que têm a propriedade de passar diretamente ao sangue, sem necessidade de serem digeridos.

• Vitaminas: Com 0,11 mg/100 g de vitamina B6, a uva é uma das frutas frescas mais ricas nessa vitamina, superada apenas pelas frutas tropicais como o abacate, a banana, a fruta-do-conde, a goiaba ou a mmlga. As vitaminas Bj, B6 e B3 ou niacina também estão presentes em quantidades superiores à maioria das frutas frescas.

Todas essas vitaminas têm, entre outras, a função de metabolizar os açúcares, facilitando para que as células possam queimá-los quimicamente e aproveitar sua energia. A natureza dá, assim, mais uma mostra de desígnio inteligente, ao proporcionar uma grande quantidade de açúcares na uva, juntamente com as vitaminas necessárias para seu aproveitamento energético.

A uva também contém quantidades bastante significativas de provitamina A (7 µg ER/IOO g), de vitamina C (10,8 mg/lOO g) e de vitamina E (0,7 mg/l00 g).

• Minerais: O potássio, o cobre e o ferro são os minerais mais abundantes na uva, ainda que também contenha cálcio, fósforo, magnésio e cobre.

• Fibra: A uva contém em tomo de 1 % de fibra vegetal de tipo solúvel (pectina), quantidade relativamente importante tratando-se de fruta fresca.

• Substâncias não-nutritivas: A uva contém numerosas substâncias químicas, que não pertencem a nenhum dos grupos clássicos de nutrientes, mas que exercem numerosas funções no organismo, muitas delas ainda desconhecidas. Essas substâncias são conhecidas como ELEMENTOS FITOQUÍMICOS:

- Ácidos orgânicos (tartárico, málico, cítrico e outros): São os responsáveis pelo sabor ligeiramente ácido da uva. Esses ácidos exercem uma ação paradoxal no sangue, produzindo alcalinização. A alcalinização do sangue e da urina facilita a eliminação dos resíduos metabólicos, que em sua maior parte são de tipo ácido, como o ácido úrico.

-Flavonóides: Recentemente comprovou-se que atuam como potentes antioxidantes, impedindo a oxidação do colesterol causador da arteriosclerose e evitando a formação de trombos ou coágulos nas artérias.

-Resveratrol: Detém a progressão da arteriosclerose. Recentemente, comprovou-se que também é poderoso anticancerígeno.

-Antocianinas: São pigmentos vegetais presentes na uva branca e, sobretudo, na escura. Atuam como potentes antioxidantes preventivos de afecções cardiovasculares.

Em essência, pode-se dizer que a uva é um alimento que fornece energia a nossas células e favorece o bom estado das artérias, especialmente das coronárias que irrigam o músculo cardíaco. Também é laxante, antitóxica, diurética, anti anêmica e antitumoral.

Estas são suas principais indicações:

• Afecções cardíacas em geral: A uva é recomendável em todas as afecções cardíacas pelos seguintes motivos:

- Aporta energia em forma de açúcares simples, que o músculo cardíaco utiliza para contrair-se. Embora a principal fonte de energia para o coração sejam os ácidos graxos, este órgão também utiliza a glicose.

- A uva é rica em potássio e também contém cálcio e magnésio, minerais que intervêm nas contrações cardíacas.

- A uva não contém sódio nem gordura saturada, os dois principais inimigos do sistema cardiovascular.

• Afecções das artérias coronárias: As pesquisas realizadas com a uva e seu suco mostram que ambos são capazes de: dilatar as artérias, fazer que o sangue circule mais fluido, sem que se formem coágulos, e impedir que o colesterol se deposite nas paredes das artérias. Não se pode esperar mais de um alimento protetor do coração e do sistema circulatório.

• Trombose: A tendência do sangue a formar coágulos dentro das artérias ou veias pode reduzir-se com o consumo de uva, suco ou uvas-passa. Isto é especialmente importante para quem tenha sofrido acidente vascular cerebral, ou esteja em situação de risco.

• Anemia por falta de ferro: A uva é urna das frutas frescas mais ricas em ferro (0,26 mg/lOO g). A uva-passa, como está mais concentrada, é ainda mais rica em feno (2,59 mg/lOO g), superando a carne de carneiro (2-2,5 mg/lOO g).

O ferro da uva é do tipo não hem, e por si só se absorveria com mais dificuldade que o ferro da carne. Entretanto, sua absorção melhora muito pela ação potencializadora da vitamina C, presente na uva ou em outros alimentos vegetais.

Todos aqueles que tiverem tendência à anemia, por falta de ferro, melhorarão com o consumo habitual de uva durante os meses de verão e outono, e com o de uvas-passas o resto do ano.

• Afecções hepáticas: Ativa a função de desintoxicação do fígado, aumentando a produção de bílis (ação colerética). A uva também facilita a circulação do sangue no sistema portal, pelo que convém em c~o de cirrose e ascite (líquido no ventre) devido à hipertensão portal.

• Afecções intestinais: A uva é um laxante suave que combate a prisão de ventre crônica devido à preguiça intestinal. Também equilibra a flora intestinal e evita as putrefações causadas por alimentação rica em proteína animal.

• Afecções renais: Por sua ação diurética e descongestionante, e por sua composição mineral e carência de proteínas a uva é muito recomendada em caso de insuficiência renal devido à nefrite, nefrose ou outras causas.

• Gota e excesso de ácido úrico: A uva é bom

• Processos cancerosos: Foi comprovado experimentalmente que o Resveratrol contido na uva, especialmente na casca, exerce ação antitumoral. Embora o uso dessa substância, em caso de câncer ainda se encontre em fase de pesquisa, recomenda- se o consumo abundante de uva como medida complementar a todos aqueles que tiveram diagnóstico de câncer ou aos que apresentem risco elevado de contraí-lo.

Veja Também

Laranja Pera

Laranja Mimo

Goiaba

* Imagens Ilustrativas